Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    30/05/2019

    PORTO NACIONAL| Semus do município convoca a comunidade para vacinar contra a gripe; campanha termina nesta sexta-feira (31)

    ©DORNIL SOBRINHO
    A Secretaria Municipal da Saúde (Semus) de Porto Nacional chama a comunidade portuense para ser imunizada contra a gripe. A campanha de vacinação Influenza termina nesta sexta-feira, 31. Procure a Unidade Básica de Saúde (UBS) do seu bairro e faça a imunização.

    Mais de 12 mil 517 pessoas dos grupos prioritários já foram imunizadas, mas ainda constam nos estoques, 15 mil 917 doses da vacina. A meta é alcançar 95% da população. Até o momento, somente 78,64% da população está imunizada.

    De acordo com informações da Vigilância em Saúde, as planilhas de doses aplicadas na semana passada, ainda estão sendo digitadas pelos técnicos, ou seja, esse número pode aumentar.
    ©DORNIL SOBRINHO
    Até o momento, o Ministério da Saúde (MS) não informou à Semus se haverá ou não a prorrogação da campanha.

    As campanhas de vacinação só são prorrogadas se o Ministério da Saúde estendê-las, porque as doses são ofertadas pelo Governo Federal.

    Normalmente, as secretarias municipais só são avisadas de prorrogação, depois do último dia de campanha, quando se tem um parâmetro com dados reais do sistema de imunização.

    Grupos prioritários

    A cobertura contra a gripe prioriza puérperas (mulheres no pós-parto), gestantes, indígenas, crianças, idosos, trabalhadores de saúde, professores e portadores de doenças crônicas, como por exemplo, a hipertensão arterial, o diabetes, cânceres e as doenças respiratórias crônicas, como a asma.

    As doenças crônicas são aquelas de progressão lenta e de longa duração, que muitas vezes seguem por toda a vida. Podem ser silenciosas ou sintomáticas, comprometendo a qualidade de vida. Nos dois casos, representam risco para o paciente.

    Ministério da Saúde

    A expectativa do Ministério da Saúde é vacinar 59,5 milhões de pessoas até o final da campanha. Dessas, 46,9 milhões são idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses a menores de seis anos, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto). 
    ©DORNIL SOBRINHO

    Por: Umbelina Costa


    Imprimir