Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    07/06/2019

    Projetos inscritos no selo ‘Quem Educa, Faz!’ estão mudando a realidade do ensino em escola de Araguaína

    O Colégio Estadual Adolfo Bezerra de Menezes, em Araguaína, está com 26 projetos inscritos no selo ‘Quem Educa, Faz!’

    Alunos do Colégio Estadual Adolfo Bezerra de Menezes participam de aula prática sobre a química das frutas 
    Os projetos desenvolvidos pela equipe do Colégio Estadual Adolfo Bezerra de Menezes, em Araguaína, têm mudado a realidade do ensino e aprendizagem na unidade escolar. Entre as muitas iniciativas propostas pela equipe gestora e pelos professores, 27 já estão inscritas no selo ‘Quem Educa, Faz!’.

    Dos inscritos, 23 são projetos pedagógicos e quatro são ações desenvolvidas na escola com foco na melhoria dos indicadores de qualidade do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). “Essa é apenas uma parte do trabalho que estamos desenvolvendo, ainda temos muitos outros projetos”, destacou a diretora da unidade escolar Paula Zerbine.

    De acordo com a diretora, a escola tem trabalhado para desenvolver a autoestima dos alunos, melhorar a aprendizagem e o Ideb. “No ano passado, tínhamos pouco mais de 1200 alunos matriculados e, neste ano, são 1658 alunos. E estamos com a meta de saltar de 2,7 pontos no Ideb para 4 pontos”, apontou a gestora. 

    Com o uso de jogos imobiliários, alunos aprendem sobre empreendedorismo
    A maioria dos projetos começaram a ser planejados em 2017, com a proposta de dinamizar o ensino e trazer o aluno para a escola. “Era uma situação difícil, em que os alunos não se preocupavam muito em aprender e vimos nos projetos uma forma de mudar esse cenário e, aos poucos, começamos a ver os resultados”, comemorou a diretora.

    Além dos projetos, a unidade tem trabalhado diretamente com os pais e responsáveis legais pelos alunos com reuniões sistematizadas, que são realizadas mensalmente. Nessas reuniões, os envolvidos têm participação direta no planejamento das ações da escola.

    Projetos

    A professora de história do ensino médio, Telma de Sousa Santos, desenvolve três projetos na unidade escolar que já estão inscritos no selo: ‘Eu na história’, ‘Feira de História Antiga’ e o ‘Novembro Negro’, projeto que conta com a participação de todos os professores da área de humanas. “São trabalhos que reafirmam a identidade dos alunos e que fazem deles protagonistas na busca de conhecimento”, destacou.

    Outro projeto inscrito e que trabalha o protagonismo dos alunos é o ‘Letramento no Adolfo Bezerra’, liderado pela professora de língua portuguesa, Lucirene Gomes Coelho. “Em 2018, o projeto resultou em um livro com produções de 72 alunos e, neste ano, a nossa meta é lançar um novo trabalho com a participação de 150 estudantes. Trabalhamos a aprendizagem dos alunos sobre os gêneros textuais e sentimos que houve uma motivação maior deles”, ressaltou.

    O professor Raphael Mendes Rosa encontrou um jeito interessante de ensinar química, além da Feira de Ciência em que são realizados experimentos científicos, o professor realiza aulas práticas sobre a composição química das frutas e o projeto ‘Química do Pão’. “O aluno aprende o conteúdo programático da disciplina e a fazer o pão, não há quem não se envolva quando o assunto é comida”, comentou.

    Até mesmo quem ainda não se inscreveu no selo está empolgado para participar, é o caso do professor de física, Wênio da Silva Castro. “Tenho três projetos para inscrever, são projetos que buscam criar momentos lúdicos na aprendizagem. Das ações que faço, sempre procuro mostrar na prática como a física funciona, trabalho também questões financeiras ligadas à conta de água e energia, por exemplo, e temos ainda atividades com jogos imobiliários”.

    Selo

    O selo ‘Quem Educa, Faz!’ foi lançado pela Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes para reconhecer o mérito de educadores pela contribuição dada à melhoria da qualidade da educação básica, por meio do desenvolvimento de experiências pedagógicas e de apoio às práticas bem-sucedidas. As inscrições podem ser feitas pelo site da Secretaria até o dia 15 outubro. 
    Projeto Letramento no Adolfo Bezerra transforma alunos leitores em escritores. Marcio Vieira 




    A leitura está integrada às práticas do projeto Letramento no Adolfo Bezerra

    Por: Cláudio Paixão


    Imprimir