Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    12/09/2019

    CAPITAL| Setembro Amarelo: Amas realiza palestra sobre prevenção ao suicídio e promoção à saúde


    Com o tema ‘Amarelo salva vidas’, em alusão ao Setembro Amarelo, o Ambulatório de Atenção à Saúde Dr Eduardo Medrado (Amas) realiza nesta quinta-feira, 12, às 16 horas, uma palestra para funcionários e pacientes sobre prevenção ao suicídio e promoção à saúde. A palestra será ministrada pela médica psiquiatra Verônica da Silveira Leite.

    De acordo com a coordenadora do Amas, Carme Lúcia Rivas de Oliveira, o objetivo é conscientizar as pessoas sobre como agir para ajudar aqueles que estão em sofrimento mental. “Não é frescura, o assunto é sério. E nós como profissionais de saúde temos que focar na promoção à saúde. Então, a proposta é conscientizar nossos servidores e usuários sobre como devemos agir com o paciente para prevenir o suicídio e ajudá-lo nesse momento difícil que ele está passando”, ressalta.

    Campanha e atendimento

    O Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção ao suicídio. No Brasil, foi criado em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), com a proposta de associar a cor ao mês que marca o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio - 10 de setembro. 

    Na Capital, Palmas, existe a Rede de Atenção Psicossocial (Raps) cuja atuação vai desde o Centro de Saúde da Comunidade (CSC), aos Centros de Atenção Psicossocial (Caps II e AD III), até o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o Hospital Geral de Palmas (HGP). Dependendo de cada caso essa rede é acionada pelos trabalhadores da Saúde, Educação, Desenvolvimento Social e o objetivo é a atenção ao sofrimento psicossocial que cada pessoa está vivendo. Neste link consta a localização de todos os serviços da rede.

    O atendimento ao público pela linha 188 do CVV funciona todos os dias 24 horas e, de acordo com o Centro, quem necessitar dos serviços pode ligar quantas vezes quiser para o canal para e ser ouvida sem ser julgada. O CVV ressalta ainda que o serviço é sigiloso e conta com profissionais voluntários e capacitados que não direcionam, não dão indicação ou receitam, pois entendem que quando a pessoa desabafa muitas vezes a resposta já está dentro dela mesma. Mais informações no site www.cvv.org.br.

    SECOM/Semus


    Imprimir