Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    14/11/2019

    Em vídeo, Bebianno desafia Bolsonaro "Vamos ver quem é o mentiroso? Está feito aqui o desafio".

    Ex-ministro rebate acusação de que fez dossiê para minar Luiz Phillipe de Orleans e Bragança

    O ex-ministro Gustavo Bebianno ©DIVULGAÇÃO
    Gustavo Bebianno, o ex-braço direito de Jair Bolsonaro, acaba de disparar pelo WhatsApp um vídeo em que rebate a afirmação de que o presidente articulou para derrubar candidatos a vice na chapa presidencial de 2018 e acusa o presidente de ter ele falado num dossiê sobre o deputado Luiz Phillipe Orleans e Bragança.

    O deputado afirmou hoje que Bolsonaro confirmou a ele que foi Bebianno quem minou as chances de ele ser o vice .

    "O presidente me telefonou dizendo para mim e para o Julian Lemos (hoje deputado) que havia recebido um delegado e um general do Exército com um dossiê com fotos de Luiz Phillipe de Orleans e Bragança com fotos num baile gay, de máscaras, participando de uma orgia, e envolvimento com gangues de rua que agrediam mendigos. Uma história baixa, surreal", afirmou Bebianno.

    Segundo Bebianno, Bolsonaro afirmou na sequência que estava conversando com Hamilton Mourão sobre a vice. Mais tarde, quando todos se encontraram no aeroporto para embarcar, Bolsonaro confirmou que não seria mais Orleans e Bragança o candidato a vice. O ex-ministro afirma ter tentado demovê-lo.

    "Perguntei se não ia ficar uma chapa muito militarizada? Ele deu três socos com toda a força no meu peito e disse 'confia, porra'. Ele mandou eu ligar para o 'Príncipe' e eu avisar. Brinquei: 'vai me dar essa missão?'. Ele disse: 'Vai, pára-raio, vai. Missão dada é missão cumprida'. Liguei pro 'Príncipe' e com toda a diplomacia fui falar isso. Ele ficou muito incomodado".

    Bebianno desafiou Bolsonaro no vídeo:

    "É uma mentira deslavada. O presidente, se disse isso, mais uma vez falta com a verdade. Da mesma forma que faltou com a verdade quando disse que não tinha conversado comigo, quando tinha conversado três vezes. Da mesma forma que faltou com a verdade agora, quando disse que não estava articulando no PSL. Uma coisa é se enganar e outra é a pessoa afirmar fatos que ela sabe que não são verdadeiros. É no mínimo uma leviandade me acusar de fazer um dossiê contra qualquer pessoa. Desafio o presidente a provar e dizer isso nos meus olhos".

    E finalizou:

    "Seu mandato, presidente, não lhe dá o direito de denegrir quem o senhor quiser. Gostaria de passar por um detector de mentiras, eu e o senhor. Vamos ver quem é o mentiroso? Está feito aqui o desafio".





    Imprimir