Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    26/11/2019

    Palmas sedia a última e nona edição de 2019 do projeto Academia Itinerante

    O projeto integra o plano de reestruturação e fortalecimento da Polícia Civil e só nesse ano já capacitou aproximadamente 600 policiais civis entre delegados, escrivães e agentes

    ©DIVULGAÇÃO
    Com vistas a qualificar, capacitar e promover a formação continuada de seus servidores, a Secretaria de Segurança Pública (SSP), por intermédio da Escola Superior de Polícia Civil (Espol), deu início nesta segunda-feira, 25, no auditório do Igeprev, em Palmas, à última etapa do Projeto “Academia Itinerante” 2019. As aulas, teóricas e práticas, prosseguem até sexta-feira, dia 29. Na abertura, os alunos assistiram à palestra Normas aplicadas à Polícia Civil, que foi ministrada pelo delegado de polícia José Júnior.

    O projeto integra o plano de reestruturação e fortalecimento da Polícia Civil e só nesse ano já capacitou aproximadamente 600 policiais civis entre delegados, escrivães e agentes. Em Palmas, mais de 130 policiais da Capital e de municípios vizinhos estão participando. Ao longo da semana, eles terão aulas teóricas e práticas, a exemplo do percurso de oito quilômetros realizado no final da tarde desta segunda-feira, 25, culminando com a chegada dos alunos na porta da SSP, onde foram saudados por delegados, diretores e servidores da Pasta.

    Regionais

    A Academia Itinerante é um instrumento de construção de conhecimento, que visa promover habilidades e procedimentos operacionais dos policiais dentro de sua esfera de atribuições. O projeto passou neste ano pelas oito regionais que integram a Polícia Civil e teve a primeira edição realizada em Araguatins, no Norte do Estado.

    Para o diretor da Espol, Ronie Augusto Rodrigues Esteves, o resultado desse ano superou as expectativas e para 2020 a previsão é de que o curso aconteça na modalidade à distância. “Pretendemos ampliar e incluir a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. Foi assinado um termo de parceria com a Universidade do Tocantins (Unitins) e a previsão é que ano que vem aconteçam aulas à distância, com professores da universidade”.

    Aprendizagem

    Para o secretário-executivo da Segurança Pública, Servilho Paiva, essa é uma oportunidade ímpar para que os policiais reciclarem seus conhecimentos e adquirir outros. “Esse é o momento para se capacitar. Precisamos refletir o que estamos fazendo, se está correto, ou se podemos ser mais efetivos. É uma oportunidade para refletir e analisar o produto que a Polícia Civil entrega à sociedade, além de ser o momento propício para adquirir conhecimento sobre novas técnicas de investigação”. 

    A diretora de polícia da Capital, delegada Lúcelia Marques, também falou da importância da academia como ferramenta de aprendizagem. Segundo ela, todo aprendizado é importante e refletirá no trabalho diário de cada policial. “Além disso, a academia também proporciona um contato maior com os colegas de trabalho”. 

    Os recursos financeiros para a realização do curso são provenientes do Fundo para Modernização da Polícia Civil do Estado do Tocantins – FUMPOL-TO.



    Por: Camilla Negre


    Imprimir