Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    30/04/2020

    BBB 20| Rafa Kalimann fala sobre destino do prêmio do Programa

    A segunda colocada ganhou R$150 mil e prometeu que doaria a quantia a uma instituição beneficente

    ©REPRODUÇÃO
    O prêmio de R$ 1, 5 milhão não veio, mas Rafa Kalimann está feliz com o segundo lugar e assim como prometeu doar toda a quantia se fosse a campeã do ‘BBB 20’, a influencer já sabe que os seus R$ 150 mil irão parar em uma ação solidária em Moçambique ou aqui mesmo no Brasil. As informações são da coluna de Fábia Oliveira, do Jornal O Dia.

    Rafa assumiu que levou um susto ao sair do confinamento e ver a grave situação financeira brasileira. “A minha ideia inicial era doar todo o prêmio para Moçambique. Mas, me deparando com a nossa atual realidade, eu vou analisar e pensar com carinho a doação, a melhor forma de fazer essa doação”, revelou.

    Rafa contou que está anestesiada com o número de seguidores que agora tem nas redes sociais. “Tenho mais de 13 milhões de seguidores! E o mais impressionante de tudo é que essas pessoas se identificaram comigo numa versão muito transparente, muito inteira. Eu me escancarei”.


    Confira a entrevista completa abaixo:

    O seu ex-marido Rodolffo torceu muito por você e no confinamento, pertinho da final, o Brasil inteiro viu você cantando a música dele e comentando com as outras duas finalistas. Como é a relação de vocês hoje? São amigos? Há alguma chance de conversarem para uma possível reconciliação?

    Sim, nós somos muito amigos. O Rodolffo foi uma das poucas pessoas que eu contei, que eu compartilhei que eu iria para o programa porque nós sempre acompanhamos e assistimos. Eu torci pelo sucesso dele e por isso que eu fiquei muito feliz e comemorei quando tocou uma das musicas deles. Eu sei o quanto ele trabalha e merece muito. Ele me apoiou muito e falou para eu participar do programa porque seria um sucesso. Nós somos muito amigos.

    O que representa o seu número de seguidores mais que ter triplicado durante o programa? Qual o peso disso?

    Eu estou completamente anestesiada. Tenho mais de 13 milhões de seguidores! E o mais impressionante de tudo é que essas pessoas se identificaram comigo numa versão muito transparente, muito inteira. Eu fui ali, a Rafa com todos os meus defeitos, meus medos , as minhas angústias, as minhas qualidades, os pontos negativos e os pontos positivos. Eu me escancarei! Saber que as pessoas torceram por mim, optaram a começar a me acompanhar mesmo sabendo de isso tudo é uma honra. Eu estou muito, muito feliz mesmo de ter conectado tantas pessoas juntos de mim e saber que o meu trabalho vai continuar de uma forma muito linda.

    O prêmio do segundo lugar você também vai doar para seus projetos no continente africano?

    A minha ideia inicial era doar todo o prêmio para Moçambique, sim, até porque eu faço todos os anos um bazar, no início do ano, e desta vez não aconteceu porque eu estava no ‘BBB’. Mas, saindo da casa, principalmente hoje, me deparando com a nossa atual realidade, porque até então nós tínhamos uma notícia muito vaga do que estava acontecendo, eu vou analisar e pensar com carinho a doação, a melhor forma de fazer essa doação acontecer para o local com a maior emergência porque eu ajudo outras instituições também no Brasil.

    Como o R$ 1,5 milhão não veio, você pensa em fazer uma vaquinha para arrecadar esse valor e tentar cumprir sua promessa de ajudar esses africanos?

    Neste momento é preciso analisar a possibilidade de fazer uma vaquinha. Pode ser mesmo a possibilidade de arrecadar um valor e poder realizar esse sonho que eu tenho e que eles também esperam. Acredito que Deus vai dar um jeitinho certo. Só ainda não sei como vou conduzir. No momento certo, eu vou saber fazer como acontecer.

    Você namora ou namorou o Léo Chaves?

    Não namoro. Nós não namoramos. Eu o conheci e depois tive a oportunidade de gravar o clipe com ele, um clipe incrível e lindo. Nós tivemos uma amizade muito legal, trocamos várias idéias e ele é um cara sensacional. Não rolou namoro nem está rolando.


    Por: Carlos Yukio 

    Imprimir