Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    29/04/2020

    PSOL apresenta queixa-crime contra Carlos Bolsonaro por divulgação de fake news

    Em postagem no Twitter, o vereador do Rio de Janeiro tentou relacionar o PSOL e Jean Wylys com o atentado cometido por Adélio Bispo

    ©ARQUIVO
    O PSOL entrou ontem (28) na Justiça do Estado do Rio de Janeiro com uma queixa-crime por difamação contra o vereador Carlos Bolsonaro. Mais uma vez o denunciado usou suas redes sociais e um exército de robôs para disseminar notícias falsas contra o PSOL e o ex-deputado Jean Wyllys.

    Em postagem feita no dia 27 de abril no Twitter, Carlos Bolsonaro relaciona o PSOL e Jean Wyllys com o atentado que o então candidato Jair Bolsonaro sofreu durante a campanha para as eleições de 2018, praticado por Adélio Bispo. Com base em notícia mentirosa feita pelo site renews.com.br, o vereador difama e ofende a honra do partido e do ex-deputado, tentando desmoralizá-los perante a sociedade.

    A ação pede liminarmente a imediata retirada da postagem do Twitter e que Carlos Bolsonaro seja condenado por difamação, conforme prevê o Artigo 139 do Código Penal, o que pode implicar detenção de três meses a um ano, e multa.

    A tentativa de inundar as redes sociais com esta notícia falsa vem no exato momento que a família Bolsonaro se vê cada vez com menos apoio após as graves denúncias feita pelo ex-ministro Sérgio Moro e o avanço das investigações realizadas pela CPMI das Fake News e pela Polícia Federal, que ligam “Carluxo”, como é conhecido o vereador, e outros filhos do presidente ao “Gabinete do Ódio” que opera de dentro do Palácio do Planalto para difamar adversários e desafetos políticos do clã Bolsonaro.

    ASSECOM

    Imprimir