Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    29/05/2020

    CAPITAL| Comércio, lojas de departamento, praças e parques devem voltar a abrir a partir de 8 de junho em Palmas

    Prefeitura de Palmas apresentou plano de reabertura do comércio na manhã desta sexta-feira (29). Empresas terão que assinar um termo de responsabilidade para cumprir as orientações.

    Comércio varejista e lojas de departamentos devem voltar a funcionar no dia 8 de junho ©Edu Fortes/Prefeitura de Palmas
    O comércio varejista, concessionárias, lojas de departamentos, parques e praças devem voltar a abrir a partir do dia 8 de junho em Palmas. O plano de reabertura foi apresentado pela prefeitura da capital, durante uma coletiva de imprensa transmitida pela internet, na manhã desta sexta-feira (29).

    Segundo o município, 25% das atividades empresariais e comerciais não estavam funcionando por causa das medidas adotadas para combater a Covid-19. Os outros 74% já estavam abertos, mas com restrições.

    A prefeitura anunciou que a reabertura terá duas fases. A primeira deve ocorrer no dia 8 de junho e a segunda, no dia 15, quando voltarão a funcionar shoppings, com exceção da área de entretenimento, restaurantes (a lá carte e self-service), academias e escolas de natação e esportistas. Veja a tabela abaixo:

    Participaram da coletiva de imprensa, a prefeita de Palmas Cinthia Ribeiro (PSDB), o secretário de saúde Daniel Borini e a secretária de Desenvolvimento Econômico, Mila Jaber. Eles explicaram que haverá protocolos de funcionamento, os quais precisarão ser seguidos pelos empresários. Eles também terão que assinar um termo de responsabilidade.

    "Muitos segmentos já nos apresentaram protocolos para que as empresas possam adotar, mas essa semana será de planejamento, a gente validando esses protocolos com o apoio da Vigilância Sanitária e também do COE, nós vamos fazer com que isso se torne regra, ao ponto que a nossa fiscalização ao chegar no estabelecimento e perceber que esse protocolo não está sendo cumprido, nós vamos notificar, na segunda vez nós vamos multar e na terceira nós vamos fazer uma suspensão do alvará", explicou a secretária Mila Jaber.

    A prefeita Cinthia explicou que o plano de reabertura foi feito considerando várias medidas adotadas, como por exemplo, a contratação de profissionais, o aumento de leitos clínicos e o aumento da testes para detectar a Covid-19. "Foi necessário equipar toda a rede, deixá-la 100% funcionando, perto do padrão daquilo que precisamos e do status epidemiológico que nós temos hoje, para que nós pudéssemos falar da sequência do plano de retomada".

    O secretário Daniel Borini esclareceu que a pandemia não está controlada, mas que o cenário atual em Palmas dá segurança para adotar essas novas medidas. Segundo ele, nestes dois meses, foi organizada uma ala, para cada Unidade de Pronto Atendimento (UPA), com o objetivo de receber pacientes com a doença.

    Conforme os dados, na nova ala denominada de 'Ala Covid-19' da UPA Norte há 12 leitos e seis respiradores. Na UPA Sul, nove leitos e mais seis respiradores. Borini argumentou que as duas unidades possuem capacidade para ampliação em caso de necessidade.

    Ainda segundo o secretário, há 18 leitos de UTI disponíveis no Hospital Geral de Palmas e 16 leitos de UTI na rede privada. Borini disse que 12 leitos privados estão sendo ocupados por pacientes do estado do Pará.

    Por G1 Tocantins


    Imprimir