Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    15/05/2020

    CAPITAL| Prefeitura prorroga para 15 de junho o pagamento do IPTU em Palmas

    Prazo para contribuintes quitarem o imposto venceria nesta sexta-feira (15). Esta é a terceira vez que a data é prorrogada em função da pandemia do novo coronavírus.

    Pagamento do IPTU é prorrogado pela terceira vez ©DIVULGAÇÃO
    A Prefeitura de Palmas prorrogou para o dia 15 de junho o pagamento do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbano (IPTU). O decreto foi publicado no Diário Oficial do Município desta sexta-feira, quando venceria o prazo par quitar o tributo. Segundo o texto, a medida foi tomada considerando a pandemia do novo coronavírus e o estado de calamidade pública decretado na capital.

    A prorrogação aplica-se pra o contribuinte que optar pelo pagamento à vista e com desconto e ainda para os que vão parcelar o valor. Neste caso, as parcelas vão acumulando, já que a primeira venceu no dia 15 de março.

    Esta é a terceira vez que o pagamento é prorrogado. Inicialmente, os contribuintes de Palmas tinham até 16 de março para realizar o pagamento, mas a prefeitura publicou um decreto estendendo a data para até 15 de abril, e posteriormente, para 15 de maio. E agora para 15 junho.

    Quem optar pelo pagamento à vista terá desconto de 10%. Além disso, o contribuinte tem direito a mais 20% de abatimento, sendo 10% para os adimplentes com o município em 2019, e outros 10% previstos no Programa Nota Quente Palmense.

    Nesta última categoria, as solicitações para desconto foram feitas até o dia 30 de novembro de 2019. Quem perdeu o prazo deve se programar ao longo de 2020 e solicitar a tempo para ter direito no exercício de 2021.

    Além do IPTU também são cobradas a Taxa de Coleta de Lixo (TCL) e Contribuição para o Custeio dos Serviços de Iluminação Pública (Cosip).

    O boleto para pagamento dos impostos deverá ser impresso pelo contribuinte pela internet, sem custo extra, neste site. A emissão não está sendo feita nas unidades do Resolve Palmas, em virtude da pandemia de coronavírus (Covid-19).

    Por G1 


    Imprimir