Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    26/06/2020

    Campanha de vacinação contra a Influenza entra na reta final e se encerra no dia 30 de junho

    ©DIVULGAÇÃO
    A campanha de vacinação contra a Influenza se encerra na próxima terça-feira, 30, e por este motivo a Secretaria Municipal da Saúde (Semus) chama à atenção dos grupos prioritários para aproveitarem a oportunidade e se imunizarem durante este período. Conforme informações da Central Municipal de Vacina de Palmas (Cemuv), alguns grupos superaram a meta, sendo que até o momento 16.520 (156,2%) idosos foram imunizados e 9.901 (106,9%) dos profissionais de saúde receberam as doses. 

    Esses foram os únicos grupos do público-alvo que atingiram e ultrapassaram as metas preconizadas pelo Ministério da Saúde (MS). O público-alvo que está mais distante do ideal são as puéperas (que se recuperam do parto), apenas 277 mulheres se vacinaram, o que representa 46,2% do percentual preconizado pelo Ministério. 

    Ainda segundo os dados da Cemuv, apenas 4.469 (72,7%) da população entre 55 a 59 anos receberam o imunizante. Já as crianças de 6 meses até menores de 6 anos, somente 13.529 (56,6%) alcançaram a meta. Do grupo de gestantes, 2.232 (61,3%) foram vacinadas. As pessoas com comorbidade, 11.306 (86,5%) buscaram a vacina e 2.719 (66,1%) dos professores também se protegeram da doença. 
    ©DIVULGAÇÃO
    Para os demais grupos não há meta estabelecida por terem sido recentemente inseridos na campanha ou por não haver estimativa da população por município. 

    A enfermeira da Central Municipal de Vacinas, Juliana Araujo de Souza, destaca que historicamente o grupo de idosos e profissionais da saúde são os que atendem com mais rapidez ao chamamento para a vacinação contra influenza. “Neste ano não foi diferente, esses foram os primeiros grupos para os quais a vacina foi liberada. A procura foi bastante intensa chegando a esgotar as doses no Município nas primeiras semanas”.

    Nas etapas seguintes, Juliana afirma que outros grupos não aderiram de forma tão expressiva. “Ressaltamos que é importantíssimo a vacinação dos grupos prioritários. Estes grupos são definidos pelo MS baseado em dados epidemiológicos e são escolhidos devido ao maior risco de desenvolver complicações e óbito pela doença”. 
    ©DIVULGAÇÃO
    A enfermeira ainda chama à atenção para o grupo de gestantes e crianças, os quais não atingiram a meta preconizada em anos anteriores e são grupos extremamente vulneráveis para a infecção por influenza, risco de agravamento do quadro e óbito.

    “Este ano, com a pandemia de Covid, sabemos que muitas pessoas estão com receio de procurar a unidade de saúde, com medo de contaminação. A Semus ressalta que os profissionais e as salas de vacina estão orientados quanto às medidas de distanciamento social, uso equipamentos de proteção individual (EPIs) e o álcool gel está disponível para a higienização da mãos, tornando os atendimentos seguros”, informa a enfermeira .

    A profissional alerta ainda sobre os riscos da associação dessas doenças e o coronavírus. “Não podemos deixar que outras doenças voltem a circular em nosso território juntamente com o coronavírus. Isso irá piorar a nossa situação epidemiológica e a situação de saúde da nossa população”, finaliza.

    Grupos prioritários 

    Os grupos prioritários da terceira fase são formados por pessoas com deficiência, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas, professores e pessoas de 55 a 59 anos de idade.

    SECOM/Semus


    Imprimir