Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    11/06/2020

    Deputada Luana Ribeiro defende a inclusão da Campanha Maio Laranja no calendário oficial do Tocantins

    Campanha é dedicada a realização de ações sobre o combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. 

    Projeto de Lei de Luana Ribeiro prevê a inclusão da campanha Maio Laranja no Tocantins ©DIVULGAÇÃO
    Com intuito de ampliar o tempo de realização de atividades de conscientização sobre o combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes, a deputada estadual Luana Ribeiro apresentou um projeto de Lei que prevê a instituição da campanha Maio Laranja no calendário oficial do Tocantins. A matéria foi apresentada em sessão ordinária da Assembleia Legislativa, na terça-feira, 09.

    Luana argumentou que o mês de maio já marca essa luta, com o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes – 18 de maio, mas que é necessário ampliar as discussões e enfatizar a necessidade da população se manter alerta. “Precisamos atuar diariamente para proteção de crianças e adolescentes, por isso, expandir o debate sobre a temática é tão necessário. Quanto maior for a divulgação e o repasse de orientações, mais a população poderá se manter informada e alerta”, enfatizou. 

    Caso a campanha seja incluída no calendário oficial do estado, o mês de maio será dedicado a ações de mobilização da sociedade tocantinense, como a realização de palestras, debates, seminários e panfletagens sobre a prevenção e o combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes. A ideia é dar ainda mais foco para a temática, para proteger os jovens tocantinenses. 

    Proteção durante o isolamento social

    Luana Ribeiro trabalha para garantir a proteção física e mental de crianças e adolescentes e já apresentou diversos projetos ligados à temática, entre eles, o projeto de Lei que prevê a obrigatoriedade da implementação de protocolos de prevenção e acolhimento aos casos de violência doméstica contra crianças e mulheres durante período de pandemia. 

    Por: Por Vitória Soares


    Imprimir