Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    24/06/2020

    Governo diz que vai usar avião, helicóptero e drones para monitorar queimadas em unidades de conservação

    Além disso, está prevista a formação de 700 brigadistas. Objetivo é evitar situação como a de 2019, quando as Forças Armadas e até aviões estrangeiros precisaram ser usados no combate ao fogo.

    Aeronaves e veículos serão usados no monitoramento das queimadas ©Washington Luiz
    O Governo do Tocantins lançou nesta quarta-feira (24) o plano de combate a queimadas para 2020. Entre as medidas anunciadas estão a formação de 700 brigadistas e o uso de duas aeronaves e oito drones para monitorar as unidades de conservação do estado. O objetivo é evitar uma situação semelhante a de 2019, quando foi necessário o apoio das Forças Armadas e até de aviões de países estrangeiros no combate ao fogo.

    O evento de lançamento foi realizado na Associação Tocantinense de Aviação (ATA), em Palmas. O governador Mauro Carlesse (DEM) não esteve presente e foi representado pelo vice, Wanderlei Barbosa (PHS). No estado, o trabalho é coordenado pelo Comitê Estadual de Combate a Incêndios e Controle de Queimadas, que reúne 31 órgãos e instituições.

    O próprio governo admite que existe a preocupação com a possível sobrecarga do sistema de saúde, já que o número de internações por doenças respiratórias costuma aumentar nos meses de estiagem e o estado já enfrenta a pandemia do novo coronavírus.

    "Agora, temos dois inimigos para enfrentar ao mesmo tempo: as queimadas ilegais e o novo Coronavírus. As doenças respiratórias podem levar o cidadão a precisar de atendimento médico e, neste momento de pandemia, devemos evitar ao máximo que o sistema de saúde fique ainda mais sobrecarregado", disse o vice governador.

    O Ministério Público do Tocantins ficou responsável por apresentar uma relação das propriedades rurais que mais queimaram nos últimos três anos. Os locais serão notificados sobre a presença na lista antes do período de estiagem.

    Segundo os dados mais atualizados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), desde o começo do ano o Tocantins já registrou 1.783 focos de queimadas, sendo que 853 foram apenas no mês de junho. Em todo o ano passado, o estado teve 13.625 focos.
    Drones serão enviados para unidades de conservação ©Washington Luiz/Governo do Tocantins


    Por G1 


    Imprimir