Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    18/08/2020

    Adolescente de 15 anos tenta salvar criança durante naufrágio de barco e morre afogada no rio Araguaia

    Acidente aconteceu em Araguacema, na região oeste do estado. Testemunha informou que vítima não sabia nadar e ocupantes de embarcação não usavam coletes.

    Bombeiros fizeram buscas no rio Araguaia — Foto: Bombeiros/Divulgação
    A adolescente Ágata Cristina, de 15 anos, morreu afogada em Araguacema, na região oeste do estado, após um barco naufragar no rio Araguaia. Uma testemunha disse aos bombeiros que ela ainda tentou salvar uma criança antes de desaparecer na água. Desde o início do ano foram registradas 44 mortes por afogamento no Tocantins, segundo levantamento divulgado pelo Corpo de Bombeiros nesta terça-feira (18).

    Ágata Cristina desapareceu na tarde de domingo (16). O acidente aconteceu a seis quilômetros de um ponto de acampamento. Os bombeiros informaram que a embarcação tinha seis ocupantes e navegava um pouco acima da boca do Rio Guaiapó, um afluente do Araguaia.

    O local do naufrágio tem a profundidade de aproximadamente dois metros e fica a 30 metros de distância da margem do rio. Um dos parentes da menina contou aos bombeiros que Ágata Cristina não sabia nadar e nenhuma das pessoas que estavam na embarcação usava coletes salva-vidas.

    As buscas pela adolescente começaram na noite de domingo (16) e foram retomadas pelos Bombeiros na manhã de segunda-feira (17). Os mergulhadores fizeram buscas por seis horas seguidas durante o dia.

    Enquanto isso os parentes da adolescente também realizaram buscas pela superfície do rio. A adolescente acabou sendo encontrada em uma ilha a cerca de dois quilômetros do local do naufrágio. O corpo foi recolhido pelo Instituto Médico Legal e o caso deve ser investigado.

    44 mortes por afogamento

    São 44 mortes por afogamento no estado desde o início do ano. Só último final de semana foram duas vítimas: Eliézio Silva Santos, 26 anos, morreu após desaparecer no Rio Tocantins, em Praia Norte; e Ágata Cristina, que morreu no Rio Araguaia, em Araguacema.

    Segundo os bombeiros, o maior número de casos foi registrado em abril, quando 10 pessoas morreram, sendo seguido por janeiro e julho, com sete mortes, e maio com seis vítimas.

    Por G1 Tocantins


    Imprimir