Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    11/08/2020

    BRK Ambiental: saiba quais os fatores impactam o valor final da conta de água

    ©DIVULGAÇÃO
    No período de estiagem, que começa no Tocantins no mês de julho e se estende até outubro, os cuidados com o consumo de água devem ser redobrados. Em função do calor e do clima mais seco, neste período há um aumento natural no consumo de água, no entanto, é também nestes meses mais secos do ano que os reservatórios de água ficam com níveis mais baixos. Por isso, economizar água nestes meses pode gerar economia para o bolso do cliente e preservar esse recurso tão importante.

    “O valor final da conta de água é um aspecto que impacta diretamente o cliente, por isso é tão importante que ele entenda como fazer a gestão do seu consumo. E uma forma de ter esse entendimento é conhecer os seus hábitos de consumo, quais os fatores podem impactar o volume de água consumido e consequentemente o valor final da conta”, destaca Ricardo Ferraz, gerente comercial da BRK Ambiental.

    Ele completa que, neste sentido, o cliente precisa ficar atento a três pontos: consumo no dia a dia (tempo de banho; uso de torneiras no jardim; lavagem de roupas, casa, calçadas etc), se há vazamentos nas ligações interna (válvulas de descargas; pias, torneiras, vazamentos ocultos etc) ou ainda a faixa de consumo em que ele está enquadrado.
    ©DIVULGAÇÃO
    “Ao avaliar esses pontos, o cliente vai identificar em quais atividades ele gasta mais água e onde pode economizar, ou ainda se há vazamentos. Para se ter uma ideia, só o chuveiro é responsável por mais de 30% do volume de água usado mensalmente em uma casa. Outros 30% de consumo doméstico de água, em média, escorre pelas descargas, especialmente quando os vasos sanitários utilizam modelos de válvulas mais antigos”, exemplifica Ricardo Ferraz.

    Nesse sentido, atitudes simples podem gerar grandes mudanças no valor final da conta. Reduzir em cinco minutos o tempo no banho, por exemplo, pode significar uma economia de 1.350 litros de água ao fim de um mês. No caso de uma família com quatro pessoas, a redução é ainda mais significativa. Outro jeito de reduzir gastos passa pela escolha da válvula de descarga. As descargas de acionamento duplo podem economizar até 75% de água, em uma comparação com as descargas comuns.

    Economia em toda a casa

    As outras áreas da casa também concentram focos de desperdício. Mudanças nos hábitos de lavar louças, regar plantas e usar a máquina de lavar ajudam a entrar de cabeça no consumo consciente e reduzir o valor da conta de água. Confira quatro dicas para começar já:

    1. Foco na cozinha

    Reduza a necessidade de água na hora de lavar louça. Antes de pegar a esponja, despeje no lixo todos os restos de alimentos que ainda estejam grudados em pratos e panelas. Mantenha a torneira fechada enquanto ensaboa os utensílios.

    2. Máquina cheia

    Uma média de 135 litros de água são usados cada vez que você aciona uma máquina de lavar roupas com 5 quilos de capacidade. Aguarde para só usar o aparelho quando já tiver acumulado roupa suficiente para enchê-lo. Você também pode reservar a água que sobra da lavagem e reutilizá-la na limpeza da casa.

    3. Nada de mangueira

    A mangueira é uma das grandes vilãs do desperdício de água: 30 minutos de mangueira ligada representam a perda de 558 litros de água. O volume equivale ao necessário para 12 banhos de 5 minutos. É muito, né? Vassoura para a calçada, baldes para lavar o carro e regadores para as plantas são algumas alternativas contra o desperdício.

    4. Redutores de vazão

    Os redutores são vendidos em lojas de materiais hidráulicos e home centers. Os equipamentos são acoplados a chuveiros e torneiras que têm vazão intensa, acima do necessário, e podem ajudar a reduzir em até 50% o consumo de água.

    Sobre vazamentos, a BRK Ambiental separou mais algumas dicas:

    1. Verifique a válvula de descarga e as demais instalações hidráulicas

    Uma descarga desregulada desperdiça 20 litros de água toda vez que é acionada. Um cano com vazamento de 2 mm escorre 96 mil litros de água em um mês e uma torneira gotejando perde 40 litros de água por dia.

    2. Verifique seu hidrômetro

    Feche bem torneiras, chuveiros e não utilize vasos sanitários ou máquina de lavar roupas. Na sequência, confira a medição de seu hidrômetro. Se ele estiver girando mesmo sem nenhuma utilização de água, pode haver vazamento em algum lugar.

    3. Observe a caixa d’água

    Às vezes, a origem do vazamento pode estar na caixa d’água. Faça o teste e contate um técnico para reparos caso confirme o problema. Feche o registro de saída do reservatório e a torneira da boia. Marque no reservatório o nível de água. Aguarde uma hora e verifique o nível da água. Se o nível baixou a partir da marca, existe vazamento.

    4. Infiltração e umidade

    A infiltrações em paredes e pisos ajudam a denunciar vazamentos nos canos que distribuem água na sua residência. Busque por sinais de tinta descascando ou pisos molhados. Verifique por sinais de umidade e caso constate, busque ajuda de um encanador. Esses vazamentos são os mais difíceis de serem encontrados, pois estão ocultos, dentro das paredes. Por isso, em caso de suspeita, como um aumento súbito na quantidade de água consumida, contate um técnico para identificar a origem e realizar os reparos e informe o quanto antes para a BRK.

    ASSECOM


    Imprimir