Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    04/08/2020

    Cresce em Palmas procura por atendimento em saúde mental online oferecido pela Semus durante a pandemia

    Desde que começou a ser ofertado, mais de 3.700 pessoas foram atendidas pelo serviço gratuito de apoio psicológico

    ©DIVULGAÇÃO
    A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) tem provocado diversos desarranjos emocionais. Segundo especialistas, a saúde mental pode ser afetada por conta do medo, do isolamento social, da mudança de rotina, protocolos severos de higiene que devem ser seguidos, tendo como objetivo evitar a contaminação e tantos outros fatores, que levam as pessoas a tomar atitudes para enfrentar o perigo.

    E pensando no bem-estar da população, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) de Palmas tem dado suporte online e gratuito em saúde mental, além do apoio psicológico que já era ofertado presencialmente na rede municipal. Desde o início da pandemia, 3.778 atendimentos online em saúde mental foram realizados na Capital.

    Segundo a psicóloga e coordenadora do projeto de atendimento online, Leny Meire Correa Molinari Carrasco, em Palmas foi possível constatar um aumento crescente e considerável da procura pelo serviço desde sua implantação. No decorrer dos atendimentos, percebeu-se, em média, 79,1% das pessoas atendidas apresentaram sintomas de ansiedade, com 45,6% relacionadas à Covid-19. Já 26,1% apresentaram medo de ser infectadas pelo novo coronavírus e 17,1 % apresentaram temor de adquirir doenças em geral.

    O atendimento online é pontual e não é necessário que o paciente tenha uma a doença psicológica diagnosticada para procurar o serviço. “O projeto tem como estratégia a psicoterapia breve, na qual é feita uma escuta e orientação para um problema que ocorre no atual momento. É um suporte para o enfrentamento da situação de pandemia. Existem pessoas que desenvolvem ansiedade, tristeza, melancolia e outras situações”, explica a profissional.

    Leny descreve que a demanda tem duas vertentes. “A primeira é espontânea, o paciente faz contato direto por achar que não está bem e procura o serviço. A outra demanda é de pacientes que positivam para a Covid-19. Esses recebem o contato de psicólogos oferecendo o acompanhamento mediante a necessidade do paciente”, pontua ela.

    O serviço pode ser solicitado por meio do endereço eletrônico, onde a pessoa interessada deve preencher um formulário com contato telefônico, nome completo, número do cartão do SUS e motivo da busca pelo atendimento que é feito pelo WhatsApp. Caso a pessoa não utilize o aplicativo, o auxílio pode ser buscado pelo telefone 3218-5460.

    Em caso de necessidade de consulta psiquiátrica, o psicólogo que estiver realizando o atendimento pode encaminhar o paciente para sua Unidade de Saúde da Família (USF), onde o médico pode solicitar uma consulta especializada nos ambulatórios que possuem atendimento psiquiátrico em Palmas.

    Vale destacar que o atendimento online não se configura como serviço de urgência e emergência em saúde mental. A Semus orienta que para casos de urgência (paciente que necessita de atendimento em até 48 horas, o paciente deve procurar o Centro de Atendimento Psicossocial (Caps II), de segunda sexta, das 7 às 13 horas, ou o Caps AD III, 24 horas por dia. Já em casos de emergência (não pode esperar), o paciente deve ser levado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ou hospital de referência.

    Atendimento

    Atendem a população, servidores do corpo técnico da Semus, residentes multiprofissionais em Saúde Coletiva, Saúde Mental e Saúde da Família da Fundação Escola de Saúde Pública (Fesp), dentre eles 21 psicólogos Equipe Multiprofissional da Atenção Primária (NASF-AB), nove residentes de saúde mental como técnicos de referência e um terapeuta ocupacional.

    Projeto

    O projeto de atendimento virtual foi elaborado pela área técnica da Saúde Mental ligada à Diretoria de Média e Alta Complexidade, em parceria com a Diretoria de Atenção Primária e a Residência em Saúde da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp) e Conselho Regional de Psicologia.

    SECOM


    Imprimir