Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    25/08/2020

    Parceria entre Cidadania e Justiça e IFTO leva cursos profissionalizantes a reeducandos monitorados na Capital

    Com foco no atendimento da Lei de Execução Penal, os cursos profissionalizantes proporcionarão remissão de pena e capacitação para os reeducandos.

    As atividades dos cursos são ministradas seguindo todos os protocolos de prevenção à Covid-19 ©Divulgação Seciju
    A Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), em parceria com o Instituto Federal do Tocantins (IFTO), tem propiciado a presos do estado a chance de participar de cursos profissionalizantes com foco na capacitação, estudo e remissão da pena pela leitura, conforme dita a Lei de Execução Penal (LEP). As aulas acontecem no Centro de Formação e Produção, vinculado à Gerência de Reintegração Social, na modalidade de Educação a distância (EaD), cumprindo todos os protocolos de prevenção à Covid-19, e atendendo sete reeducandos do regime semiaberto, em Palmas.

    O gerente da Central de Monitoramento Eletrônico (CME), Rhomenyng Afonso, explanou como a educação e boas oportunidades formam um eixo importante para a ressocialização. “A reintegração social nada mais é do que oferecer caminhos para que o reeducando consiga se reinserir em sociedade, isso pode ser feito de várias formas, como oficinas de leitura ou cursos profissionalizantes. Nossa Gestão tem fomentado parcerias que possibilitem um caminho que passe pela educação e capacitação rumo a uma reinserção social com efetividade”, disse.

    Segundo a coordenadora dos cursos profissionalizantes do IFTO, Sara Soares, o curso foi pensado para ser aplicado neste período de pandemia da Covid-19. “Num momento que a população está se vendo em isolamento social, o Ministério da Educação criou o “Novos caminhos”, e essa iniciativa integra esse programa federal. Primordialmente, o curso não era especificamente direcionado para estudantes do Sistema Penitenciário, mas atendendo a solicitação da Seciju, organizamos a estrutura para atender também os reeducandos e pretendemos, futuramente, ampliar as vagas para mais pessoas privadas de liberdade”, falou a coordenadora da IFTO.

    Cursos

    Os cursos possuem entre 160 a 200h/aula, nas modalidades que vão de produtor de iogurtes, programador de dispositivos móveis, instalador e reparador de redes de computadores, monitor de dependência química e produtor agropecuário. As aulas se iniciaram no dia 17 de agosto e têm previsão para término em dezembro.

    A reeducada D.N.A.S.S.B, 32, que é aluna do curso de Produção de Iogurte, explicou que está muito empolgada com a atividade, pois servirá como complemento aos seus conhecimentos no setor alimentício. “Eu tenho interesse de abrir um empreendimento meu e o curso vai me ajudar. É uma excelente oportunidade para aprender. Não vou faltar às aulas”, finalizou.

    Por: Marcos Miranda

    Imprimir