Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    11/09/2020

    CAPITAL| Prefeitura não prorroga decreto e restrições para funcionamento do comércio terminam nesta sexta-feira (11)

    Medida tinha sido prorrogada três vezes desde a primeira publicação. Prefeitura ainda não informou motivo da mudança de postura.

    Palmas não terá mais restrições ao funcionamento do comércio ©Reprodução/TV Anhanguera
    A Prefeitura de Palmas não prorrogou o decreto que restringia os horários de funcionamento do comércio na capital e por isso o texto perde a validade às 23h59 desta quinta-feira (10). A partir de sexta-feira (11) as lojas podem retomar os atendimentos nos horários convencionais. O motivo da mudança de postura da prefeitura, que havia prorrogado o decreto por três vezes, ainda não foi informado.

    O texto proibia atividades não essenciais de funcionar entre 20h e 5h. Para os supermercados, o horário limite de funcionamento era às 22h. O decreto começou a valer no dia 13 de julho e terminaria no dia 27, mas o município resolveu prorrogar até o dia 6 de agosto. Depois houve nova prorrogação para o dia 31 de agosto e mais uma até o dia 10 de setembro.

    Apesar disso os números da pandemia cresceram e fizeram a capital ser a cidade mais afetada pelo coronavírus no estado. Atualmente, Palmas registra 14.112 casos e 111 mortes pela pandemia, segundo os dados mais atualizados da Secretaria de Estado da Saúde.

    A medida foi alvo de críticas de associações que representam empresários de áreas como bares, restaurantes e algumas categorias do varejo.

    Veja outras medidas adotadas em Palmas na pandemia

    Em Palmas a primeira medida de contenção ao novo coronavírus foi tomada no dia 15 de março, quando as aulas da rede municipal foram suspensas. Naquela época ainda não havia casos confirmados, mas os primeiros casos suspeitos e o crescimento da doença em outros estados foram o suficiente para determinar o fechamento das escolas. Elas ainda não têm data para reabrir. Na mesma data foram suspensos eventos que pudessem gerar aglomerações.

    A cidade confirmou o primeiro caso do novo coronavírus no dia 18 de março e na mesma data a prefeitura determinou o fechamento de todo o comércio, bares e restaurantes. A situação passou a ser monitorada diariamente pelas autoridades de saúde.

    A Prefeitura tentou também determinar a lei seca na capital, no dia 15 de maio. O decreto acabou sendo derrubado na Justiça e hoje o que está em vigor é uma ordem para proibir o consumo de bebidas em áreas pública. Os pontos turísticos, como praias e parques, também chegaram a ficar fechados, mas flagrantes de desrespeito a esta norma são comuns desde então.

    A reabertura gradual do comércio começou no dia 8 de junho, com lojas do comércio de rua e restaurantes. Os shoppings centers e academias puderam reabrir uma semana depois, a partir do dia 15 de junho.

    Por G1 Tocantins


    Imprimir