Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    22/11/2020

    Ortopedista Marco Aurélio de Pádua Rocha morre após lutar três meses contra a Covid

    O médico tinha 57 anos, estava internado em São Paulo e morreu na manhã deste domingo, 22. Marco Aurélio atuava no Tocantins desde 1994

    Marco Aurélio morreu em São Paulo na manhã deste domingo, 22 ©Divulgação/SES
    O ortopedista pioneiro no Tocantins, Marco Aurélio de Pádua Rocha, morreu, aos 57 anos, neste domingo, 22, em São Paulo. O médico lutava há três meses contra a Covid-19. Devido a complicações da contaminação, ele foi transferido de Palmas para a capital paulista, onde estava internado, ficou internado na UTI em decorrência da doença e foi submetido a um transplante pulmonar.

    Marco Aurélio era especialista em ortopedia e traumatologia e presidiu durante um período a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia no Tocantins. Concursado do Estado desde junho de 1994, atualmente, Marco estava locado no Hospital Geral de Palmas (HGP).

    O Conselho Regional de Medicina do Tocantins (CRM-TO), lamentou a perda e definiu trajetória do médico como exemplar, após enfatizar que “a medicina tocantinense com certeza fica mais pobre, pois perdeu um profissional gabaritado e atuante".

    A Secretaria de Estado da Saúde (SES), através de nota, lamentou profundamente o falecimento e declarou que “o profissional deixa um legado de bons serviços prestados aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), pelo seu rotineiro comprometimento com o bem estar dos pacientes, sendo um exemplo a todos os colegas”.

    O médico e também pastor era casado com a médica e pastora Ana Paula Pedreira, com quem teve dois filhos.

    Ainda não há informações sobre o sepultamento.

    Confira as notas de pesar:

    Nota de pesar - Sindicato dos Médicos no Estado do Tocantins

    O Sindicato dos Médicos no Estado do Tocantins (SIMED-TO) manifesta profundo pesar pela morte do médico ortopedista Marco Aurélio de Pádua Rocha, neste domingo, 22 de novembro, em São Paulo.

    Ortopedista pioneiro na capital, médico concursado no Estado desde junho de 1994, e ex-presidente da SBOT (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia) no Tocantins, Marco Aurélio dedicou sua vida profissional ao alívio da dor e sofrimento de seus pacientes, desde sua residência no Instituto Ortopédico de Goiânia, e em todas as clínicas e hospitais, públicos ou privados, onde atuou com conduta irrepreensível.

    O SIMED-TO expressa seus sentimentos à família e amigos do médico, na certeza de que seu legado profissional, pessoal e pastoral, visíveis inclusive na intensa luta que travou contra a Covid-19, sirva de exemplo e inspiração para todas as pessoas.

    Nota de Pesar - Secretaria de Estado da Saúde

    A Secretaria de Estado da Saúde (SES) lamenta profundamente o falecimento do médico ortopedista, Marco Aurélio de Pádua Rocha, 57 anos, ocorrido neste domingo, 22 de novembro, em São Paulo.

    Marco Aurélio era pioneiro da Capital, servidor concursado no Estado do Tocantins, desde junho de 1994 e estava lotado no Hospital Geral de Palmas (HGP), onde tinha bom relacionamento com toda equipe.

    O profissional deixa um legado de bons serviços prestados aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), pelo seu rotineiro comprometimento com o bem estar dos pacientes, sendo um exemplo a todos os colegas.

    A SES expressa seus sinceros sentimentos, aos familiares, amigos e colegas de trabalho neste momento de dor.

    T1

    ***