Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    02/12/2020

    Governo do Tocantins realiza visita técnica para conhecer nova tecnologia de tratamento de esgoto no Rio de Janeiro

    Tecnologia empregada no sistema Nereda não utiliza nenhum tipo de produto químico durante o processo

    Todos os processos puderam ser acompanhados em tempo real pela comitiva ©Nielcem Fernandes
    Uma comitiva formada pelo presidente da Agência Tocantinense de Saneamento (ATS), Davi Goveia Junior, presidente da Agência Tocantinense de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (ATR), Edson Cabral, e pelo presidente do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Sebastião Albuquerque, visitou nessa terça-feira, 1° de dezembro, as instalações da Estação de Tratamento de Esgoto da BRK Ambiental em Deodoro, na zona oeste do Rio de Janeiro.

    A equipe, formada também pelo gerente comercial Bruno Mendes Queiroz e diretor de produção da ATS, Marcos Antônio da Silva Junior, foi recebida pelo diretor-presidente da BRK Tocantins-Pará, Tadeu Pinto, pela diretora de Relações Institucionais da empresa, Viviane Gurgel, e pela equipe técnica que opera o sistema.

    Durante a visita técnica, os gestores tocantinenses, atendendo uma determinação do governador Mauro Carlesse, conheceram a tecnologia empregada no sistema de tratamento de esgoto Nereda, sistema inovador que conta com a utilização de biomassa granular aeróbica para tratar diferentes poluentes de maneira mais rápida e eficiente.
    Eficiência no tratamento dos efluentes é consideravelmente superior à dos atuais sistemas convencionais ©Nielcem Fernandes
    Diferentemente dos atuais sistemas de tratamento utilizados em larga escala em todo país, que empregam produtos químicos durante o processo, o Nereda garante que as bactérias comuns, presentes no próprio esgoto, desempenhem o trabalho de depuração por meio do agrupamento granular de sedimentação acelerada.

    Além de utilizar um quarto do tempo e da área aplicada para o tratamento com iodos ativados convencionais, a engenharia do Nereda proporciona uma excelente qualidade do efluente, possibilitando a automação total do processo com economia significativa do consumo energético.

    Atualmente, a estação Deodoro atende a uma população de aproximadamente 480 mil habitantes com capacidade de tratamento de 750 litros por segundo.

    "Durante nossa visita, constatamos que a tecnologia Nereda é realmente inovadora. O sistema é eficiente, apresenta economia de energia, dispensa o uso de produtos químicos, além de remover elementos como o nitrogênio e o fósforo. São aspectos ambientais importantes, o modelo de tratamento anula o odor do produto que, sobretudo, retorna à natureza límpido. Esse sistema é utilizado em outros países e poderá dar um upgrade no setor de saneamento do Estado", afirmou Sebastião Albuquerque, presidente do Naturatins.

    Para o presidente da ATS, Davi Goveia Junior, a visita às instalações do Nereda foi importante para entender os aspectos técnicos e operacionais da execução dos processos de tratamento empregados em todas as etapas do sistema para analisar a viabilidade da implantação do modelo nos municípios atendidos pela Agência.“Estamos captando recursos para a instalação de novos sistemas de esgotamento sanitário nos municípios atendidos pela ATS. Após essa visita, apresentaremos um relatório ao governador Mauro Carlesse para avaliarmos a possibilidade de adotar essa tecnologia que pode revolucionar os sistemas convencionais de tratamento de efluentes no Tocantins”, ressaltou o gestor.

    “Essa visita faz parte do processo de investimento que vem sendo realizado pela gestão do governador Mauro Carlesse em novas estações de tratamento, especialmente na nova estação que será implantada em Araguaína, que será inovadora e resolverá um longo histórico de problemas com o tratamento de esgoto da cidade”, pontuou Edson Cabral, presidente da ATR.

    A instalação da nova estação em Araguaína faz parte do pacote de investimentos da ordem de mais de R$ 700 milhões anunciados pelo Governo do Tocantins para a execução de melhorias e ampliações dos serviços de água e esgoto em 11 municípios do Estado.

    O diretor-presidente da BRK Ambiental, Tadeu Pinto, ressaltou a importância da inovação tecnológica aplicada pela empresa no processo de tratamento dos efluentes. “Durante essa visita houve a oportunidade de toda a delegação do Estado ter contato direto com os técnicos que operam a estação. Além de poder observar a eficiência do modelo de tratamento, os membros da delegação puderam tirar qualquer tipo de dúvida. Saímos daqui hoje com a expectativa real de implantar no Tocantins a primeira estação de tratamento que emprega a tecnologia Nereda no norte do país”, frisou.

    Nereda

    A tecnologia Nereda surgiu na Holanda por meio de uma parceria público-privada e foi desenvolvida pela Universidade de Tecnologia de Delft. Trata-se de um sistema de tratamento de esgoto revolucionário que utiliza biomassa aeróbica granular e que não necessita da adição de produtos químicos, gasta menos energia, ocupa espaços reduzidos e garante um bom resultado.

    Este método é considerado revolucionário para o tratamento de esgoto, e inclusive foi eleito como o melhor avanço em tecnologia da última década pela Global Water Intelligence, principal publicação mundial sobre saneamento e líder em pesquisa nos mercados internacionais de água. A tecnologia Nereda já é utilizada em diversos países, como Holanda, África do Sul, Irlanda, Portugal, Austrália, Inglaterra, China, Polônia e, mais recentemente no Brasil, nas cidades de Rio Claro e Rio de Janeiro.

    Em relação à sustentabilidade, é possível afirmar que o sistema gasta de 30% a 40% menos energia. Além disso, dispensa o uso de produtos químicos e o processo resulta em um esgoto tratado com excelente qualidade, incluindo a remoção de nitrogênio e de fósforo.

    O Nereda também diminui os gastos de manutenção e operação, consumindo menos energia no decorrer da sua implantação. O custo operacional é considerado cerca de 25% menor que o gasto realizado em processos de tratamento convencionais, como lodos ativados.

    Além do esgoto doméstico, o sistema também é usado em indústrias de diversos segmentos, principalmente de laticínios e cervejarias. Por ser um método robusto, ele aguenta bastante carga.
    Estação Deodoro tem capacidade de 750 litros de efluentes por segundo ©Nielcem Fernandes

    Membros da comitiva acompanharam o passo a passo do processo de tratamento ©Nielcem Fernandes


    Por: Nielcem Fernandes

    ***