Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    10/03/2021

    Dia da Mulher - Acolhimento e amparo marcam o trabalho de gestora na Atenção Básica da rede municipal de Saúde

    Terceira reportagem da série dedicada ao Dia da Mulher tem como personagem a diretora de Atenção Básica, Terezinha Teles

    ©DIVULGAÇÃO
    “Nossa equipe, todas nós mulheres trabalhando aqui para as pessoas, somos inspiradas pelo acolhimento. Agora mais do que nunca precisamos acolher umas às outras, acolher as pessoas que procuram o SUS”. Com esse depoimento a diretora de Atenção Básica do Município de Palmas, Terezinha Teles, definiu o trabalho que executa, especialmente neste período de pandemia. A diretora é a personagem da terceira reportagem da série dedicada ao 8 de março – Dia da Mulher, em homenagem ao gênero e suas lutas.

    Como diretora da Atenção Básica da Capital, Terezinha é encarregada de chefiar cerca de 1.800 servidores de 34 unidades de saúde. Pedagoga e também bacharel em Direito, nossa personagem conta que mesmo quando atuava em outras áreas de trabalho sempre esteve envolvida com a saúde, seja prestando assistência ou em contato direto com pacientes. Por isso, o trabalho como diretora da Atenção Básica é um sonho realizado. “É uma área que eu gosto de estar envolvida, é onde eu gosto de estar, eu quero que as pessoas tenham um atendimento digno e de qualidade”, afirma, acrescentando que em sua opinião a atenção básica é “acolhimento, e essa é a palavra que tem me definido, tanto no trabalho quanto na vida, acaba que o trabalho é um reflexo do que você é, do que você quer fazer”.

    Para Terezinha, um dos desafios da rotina é estar com suas filhas. “Eu sou mãe, mãe sempre quer estar perto das filhas, mesmo as minhas já sendo adultas, não importa a idade, eu sei que elas precisam de mim, assim como eu preciso delas”. Ela explica que muitas vezes é necessário pensar sobre si mesmo para conseguir lidar com situações difíceis. “Quando você trabalha tanto para poder amparar e acolher a população você também percebe que você mesma ou as pessoas que você ama, também precisam de amparo.”

    A diretora conta ainda que sente falta de estar em contato com a natureza, que é a sua forma de repousar a mente. “Eu gosto de visitar a minha roça, é o meu descanso”, bem humorada ela fala que a dedicação no trabalho é essencial neste momento e que tem deixado de lado por enquanto o seu hobby. “Eu gosto de estar na natureza, me acalma, faz muito bem, é uma coisa que precisamos valorizar também, todos precisamos.”

    As profissionais da série de reportagem sobre o Dia da Mulher representam as trabalhadoras da rede municipal de saúde, que buscam, assim como Terezinha acolher os usuários, e na vida pessoal e no exercício de seu trabalho buscam ser respeitadas e reconhecidas.

    SECOM

    ***