Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    18/03/2021

    Governador do TO propõe ponto facultativo de duas semanas aos servidores públicos para 'frear Covid'

    Em carta enviada a prefeitos e vereadores das 139 cidades, Mauro Carlesse propôs que todos os servidores públicos não essenciais sejam dispensados entre os dias 22 de março e 2 de abril. Governo avaliou que a medida pode reduzir circulação de pessoas.

    Proposta é do governador do Tocantins, Mauro Carlesse ©Esequias Araújo/Governo do Tocantins
    O governador do Tocantins, Mauro Carlesse (DEM), divulgou nesta quinta-feira (18) uma carta aberta aos prefeitos e vereadores das 139 cidades do estado em que ele propõe a decretação de ponto facultativo a todos os servidores públicos não essenciais pelo prazo de duas semanas. Se for aceita, a ideia de Carlesse é que os funcionários sejam dispensados entre os dias 22 de março e 2 de abril.

    A carta afirma que esta pode ser uma medida para conter o coronavírus, já que "visa tirar de circulação, nos 139 municípios, centenas de milhares de pessoas". Ainda não está claro se o governo pretende tomar alguma medida para impedir que este ponto facultativo seja usado como um feriado, com os funcionários ociosos fazendo viagens, por exemplo. O G1 pediu esclarecimentos ao Palácio Araguaia e aguarda retorno.

    No documento, o governador detalha que para possibilitar o ponto facultativo "a ação precisa ser simultânea, de 22 a 31 de março, considerando que os dias 1 e 2 de abril já contam como feriado da Semana Santa".

    Além de dispensar os servidores públicos, o governo propôs que o comércio e os pequenos negócios continuem funcionando neste período. A ideia é que os próprios servidores atuem como fiscais e denunciem aglomerações e festas clandestinas. O governador diz ainda que pediu o apoio do presidente da Associação Tocantinense dos Municípios, Diogo Borges, para a ação.

    A quantidade de pessoas dispensadas com a medida vai depender da adesão dos municípios. O governo estadual ainda não esclareceu se pretende adotar a medida para os próprios servidores caso os prefeitos não aceitem emitir os decretos.

    O texto finaliza dizendo "Nosso inimigo é um só, o Coronavírus. E nosso objetivo também é o mesmo, proteger nosso povo e salvar vidas".

    No carnaval, o Tocantins não teve ponto facultativo e mesmo assim houve registros de aglomerações e eventos clandestinos. Após o período em que a festa tradicionalmente acontece, o número de casos de coronavírus voltou a crescer em ritmo acelerado e atingiu picos não observados desde o auge da primeira onda de contaminação, em agosto de 2020.

    Atualmente, o Tocantins está com o sistema de saúde em colapso. A ocupação dos leitos de UTI para Covid-19 está acima de 90% há quase duas semanas. O estado tem nesta quarta-feira (18) um total de 128.258 casos positivos, sendo que pouco mais de 17 mil estão ativos. O estado já acumula 1.735 mortes.


    Por G1 

    ***