Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    22/04/2021

    Saúde de Palmas transporta mais de 100 pacientes que necessitam fazer hemodiálise

    Pacientes de norte a sul de Palmas são levados pela Prefeitura em duas vans e duas minivans à clínica terceirizada pelo Governo do Estado

    ©DIVULGAÇÃO
    De segunda a sábado, a partir das quatro horas da manhã, motoristas da Secretaria Municipal da Saúde de Palmas (Semus) começam a buscar os pacientes com insuficiência renal crônica de norte a sul da Capital para fazer a hemodiálise - procedimento que cumpre a função do rim (um dos órgãos vitais) -, retirando as substâncias tóxicas, água e sais minerais pelo auxílio de um equipamento. O transporte do Município até a clínica terceirizada pelo Governo do Estado atende 101 pacientes.

    Cada paciente precisa fazer o procedimento de duas a três vezes na semana e oito motoristas se revezam em duas vans e duas minivans, para deixá-los na clínica. Há pouco mais de cinco anos, esse translado contava apenas com um carro de passeio.

    “Esse é um trabalho em que a gente se envolve com o paciente, sempre auxiliamos todos. Além de motorista, nos tornamos ‘terapeutas’ dos pacientes, principalmente dos recém-chegados que ainda não estão acostumados com o tratamento. Muitos sofrem e nós somos o ombro amigo. Estou há cinco anos nessa lida e amo o que faço”, expõe Marcelo da Conceição, de 38 anos, motorista responsável pela rota da região Sul e Central de Palmas.

    O aposentado Aurélio Lucas Evangelista, de 59 anos, está na luta pela vida há pouco mais de um ano. Ele faz o procedimento três vezes por semana e, por ter baixa visão, a esposa Marina Maximiliano, 60 anos, o acompanha. “Ele também tem diabetes e pressão alta e o serviço tem nos ajudado muito, pois o motorista nos busca e nos deixa em casa, e assim ele tem vivido bem”, afirma a esposa.

    A dona de casa Cláudia Larice dos Santos, 38 anos, é atendida pelo serviço municipal há dez anos. Com a saúde estabilizada, ela relata que o serviço é essencial para o tratamento dela. “Moro na região Norte de Palmas e sempre me buscam em casa. Preciso estar aqui (na clínica) três vezes na semana e nesses dez anos sempre deu certo”, completa.

    O serviço

    A hemodiálise é um procedimento da Atenção Terciária de Saúde, ou seja, é realizado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO), uma vez que a Rede Municipal de Saúde é responsável pela Atenção Primária e Média Complexidade. Com isso, o transporte de pacientes que realizam a hemodiálise é um serviço da Semus, regulado pela Atenção de Média e Alta Complexidade da pasta, em conjunto com a Atenção Primária.

    “Esse serviço é voltado para pacientes vinculados ao Sistema Único de Saúde. O paciente que necessita do atendimento pode comparecer a sua Unidade de Saúde da Família de referência e solicitá-lo, ou no setor de Cirurgias Eletivas da Semus, onde serão cadastrados no Sistema Estadual de Regulação", explica a gerente de Atenção Especializada da Semus, Jelda Fernandes.




    ASSECOM

    ***