Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    07/05/2021

    Em Palmas, rotina de acompanhamento das gestantes alinha cuidado contínuo da mulher e da criança

    Próximo ao Dia das Mães, conheça histórias de mulheres que zelam por sua saúde e de seus filhos; entenda ainda o fluxo de atendimento de gestantes e puérperas nas USFs de Palmas

    ©DIVULGAÇÃO
    A homenagem da Secretaria Municipal da Saúde (Semus) neste domingo, 9, Dia das Mães, vai a todas as mulheres que lutam por qualidade de vida e zelo no cuidado com seus filhos. Mães como a auxiliar de cozinha Josilene Santos de Jesus, 40 anos, surpreendida com a descoberta da gestação de seu quarto filho, Natanael, em plena pandemia. Ela também é mãe da Carolayne, de 20 anos, do Wesley, de 18 anos e do Ezequiel, de 11 anos.

    Ciente que a gestação em uma fase mais madura da vida pode ter mais riscos, Josilene se mantém disciplinada com acompanhamento pré-natal na Unidade de Saúde da Família (USF) José Hermes Rodrigues, no setor Sul, em Palmas. "Não foi algo planejado, ainda mais no meio da pandemia. Tenho me cuidado para estar confiante neste período. Estamos muito saudáveis".

    Segundo Josilene, o fluxo para agendamentos de consulta com o agente de saúde ou diretamente na unidade facilita o acompanhamento regular. "Eu me sinto mais segura em estar certinha no pré-natal, acredito que faça diferença para minha saúde e a do bebê. Também noto que o atendimento é muito bom. Tenho três filhos maiores, minha última gestação foi há 11 anos e agora esperando o Natanael recebi muitas informações novas que não tive nas gestações anteriores", explicou Josilene.

    Consultas de pré-natal e puerpério

    Com 36 semanas, Josilene já realizou oito consultas. A enfermeira Rosimar da Silva Sousa Oliveira da USF José Hermes Rodrigues, que a acompanha, explica que o atendimento de gestantes e puérperas (mulheres com bebês com até 40 dias de vida) na unidade é realmente encarado como muito importante. No acompanhamento pré-natal é possível monitorar o desenvolvimento do bebê, a saúde da mãe e diagnosticar precocemente doenças que podem acometer a mãe ou a criança. "Atendemos uma região carente em muitos aspectos, temos gestantes de todos os perfis, desde adolescentes até mulheres mais experientes, como a Josilene, mas todas entendem muito bem a disciplina necessária no pré-natal", disse.

    Atualmente a USF acompanha cerca de 50 gestantes e 15 puérperas. Não há fila de espera para este atendimento. O acompanhamento das gestantes é feito através de consultas mensais com médico ou enfermeiro, exames periódicos de modo que as avaliações individuais podem sugerir exames de investigação complementar, quando necessário. Nas consultas acontece uma investigação clínica e social, considerando que o tipo de moradia e o acesso a condições de saneamento, por exemplo, influenciam sobre a saúde da mãe e do bebê. Na consulta com médico são realizadas investigações especializadas, enquanto que na consulta de enfermagem são frisados cuidados para essa etapa da vida da mulher. "Reforço a importância do ácido fólico, da suplementação com sulfato ferroso, da ingestão de água para prevenir infecção de urina que é um risco para aborto, entre outros cuidados", detalhou Rosimar.

    Após o nascimento do bebê, o acompanhamento continua para direcionar esse novo ciclo de vida. "Temos o cuidado de realizar a primeira consulta de puerpério em visita domiciliar para conhecer o ambiente e as condições de cuidado do bebê nos primeiros dias de vida. É nessa visita que conseguimos identificar hábitos que podem ser corrigidos, como introdução da chupeta, uso de colônias infantis e higiene, e garantir a continuidade do acompanhamento da saúde de mãe e criança", finaliza a enfermeira Rosimar, de 38 anos, que também é mãe do Enzo, de 4 anos. "É muito especial cuidar dessas mulheres e seus bebês. Atuar nessa linha de cuidado com que me identifico muito, me recordo da minha gestação e todos os sentimentos de ansiedade que tive e todas elas também sentem", comenta.

    Qualificação dos atendimentos

    A partir da próxima semana, a Semus e o Ministério da Saúde oferecerão a mais de 100 profissionais das unidades de saúde da Capital o curso de manejo clínico de gestantes e puérperas na pandemia. Segundo o gerente das Linhas de Cuidado da Atenção Primária da Semus, Ilton Batista, o curso fornecerá novas instruções para o atendimento e acompanhamento de gestantes e mães de bebês de até 40 dias de vida.

    Tais informações vão embasar médicos e enfermeiros sobre novos cuidados que serão implementados na rede municipal de saúde para esse público, como o cuidados no atendimento em consultório e início do rastreamento de Covid-19 em gestantes com idade gestacional entre 37 e 38 semanas. "Este é um período em que a gestante está se preparando para o nascimento do seu bebê e naturalmente se torna um período crítico para um contexto de possível infecção pelo coronavírus", disse Ilton Batista.

    O curso é uma ação preliminar à campanha de prevenção de mortalidade materno-infantil que será realizada em Palmas no início do próximo mês e prevê, além das videoaulas online com suporte da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp), debate entre os profissionais inscritos e obstetras da rede municipal. Segundo o gerente, as instruções para inscrição de médicos e enfermeiros interessados em participar serão enviadas em comunicado a todas as USF da Capital nos próximos dias.

    Segundo o gerente, as instruções para inscrição de médicos e enfermeiros interessados serão enviadas em comunicado a todas as USF da Capital nos próximos dias.




    Por: Juliana Matos

    ***