Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    15/06/2021

    COLUNA DO SIMPI| Projeções para a economia animam o mercado, mas é preciso ficar alerta


    Projeções para a economia animam o mercado, mas é preciso ficar alerta

    No primeiro trimestre do ano, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro apresentou resultado de 1,2%, surpreendendo o mercado, informa o economista Otto Nagami. Segundo ele, a performance acima do esperado se justifica pelo relaxamento do isolamento social e pela perspectiva do mercado em relação à retomada. Entretanto, analisando os dados do IBGE, Nagami destaca o volume de exportações que, caracteristicamente apresenta bons números todo início de ano.

    Segundo o economista, chama a atenção o volume de investimentos. “A agropecuária apresentou um salto relevante em função do aquecimento do mercado mundial com relação às commodities e, com a boa performance do campo, os produtores são estimulados a investir, o que associado à taxa de câmbio, com o Real desvalorizado, torna o nosso produto mais barato”, explica. Historicamente, nos próximos trimestres do ano há desaquecimento na exportação da atividade agropecuária, portanto, uma eventual terceira onda da pandemia e ainda o colapso no setor energético devem ser considerados, sob risco de comprometerem a retomada do crescimento.

    Consultado sobre os impactos da economia, o economista Alexandre Chaia destaca o atraso na liberação do auxílio emergencial. “Muitas famílias perderam renda e acabaram se endividando. Por isso, o volume de compras no segundo semestre pode cair, principalmente no comércio e setor de serviços”, ressalta. Segundo ele, mesmo com a prorrogação do auxílio emergencial, a maior parte dos recursos deve ser utilizada para quitar dívidas. Paralelamente, a inflação em alta e o ritmo lento da vacinação aumentam a incerteza do empresário, influenciando investimentos e contratações, afirma Chaia. Assista neste link.

    Simpi realiza curso para dirigentes e líderes Regionais

    Curso ministrado pelas jornalistas Aléxia Oliveira e Karina Quadros traz conhecimentos básicos sobre mídias sociais, relacionamento com o público e com a "eu". A partir disso, a intenção é que cada representante do SIMPI no Brasil entenda a persona que envolve as mídias sociais e pretende ensinar como funcionam algumas ferramentas básicas do instagram, facebook e demais redes sociais. O curso está sendo organizado pelo Simpi de Rondônia, sob orientação e apoio do Simpi Nacional (Assimpi). Sabemos que marketing é o futuro! E pensando nisso, os dirigentes, empresários e corpo técnico dos Simpi’s dos estados do MS, MT, RO e DF participam desse encontro. "Para nós, é um prazer enorme dar esse curso, considerando que o conhecimento nunca é demais e que o marketing tem dominado as empresas, das menores às maiores. Sendo assim, porque não investir? Tempo e dinheiro são coisas valiosas sim, mas a qualidade e visão das empresas no mercado, importa demais, e então eu e a Karina juntamos as forças para ajudar e tirar dúvidas", comenta Aléxia Oliveira. O curso, nesse primeiro momento, é de exclusividade dos presidentes do Simpi, mas em outra etapa o curso será dirigido para os associados destes estados.

    O que é Sociedade Limitada Unipessoal

    A sociedade limitada unipessoal (SLU) é um tipo de empresa que pode ser constituída por uma única pessoa, isto é, e sua principal característica é que o patrimônio pessoal do proprietário fica separado do patrimônio da empresa. A sociedade limitada unipessoal é um formato jurídico de sociedade que visa desburocratizar e flexibilizar a abertura das empresas no país. Neste tipo de sociedade uma pessoa pode abrir sozinha uma empresa, sem a necessidade de ter outro sócio, evitando assim empresas com sócios fantasmas. Além disso, o capital do sócio fica protegido, diferente do que acontece em uma firma individual. Ou seja, em caso de falência da empresa, é usado somente o capital da própria companhia para ser feita a quitação das dívidas existentes, não avançando no capital pessoal. Além disso, também não há um valor mínimo exigido para a integralização do negócio, como acontece no modelo EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada), por exemplo.

    Esse formato surgiu para desburocratizar o processo de aberturas de empresas e incentivar o empreendedorismo dentro do Brasil.

    CNPJ cancelado: Veja o que significa e como resolver

    O MEI (Microempreendedor Individual) é a maneira mais fácil e rápida de legalizar seu negócio perante órgãos governamentais. Apesar do MEI contar com múltiplas vantagens, existem também alguns deveres. Muitos Microempreendedores Individuais no Brasil, ainda não sabem ao certo quais são os possíveis impactos na sua empresa por deixar de cumprir com suas obrigações. Então saiba quais os principais motivos para ter o MEI cancelado:

    - Falta do pagamento do imposto mensal.

    - Vínculo com outro CNPJ;

    - Exclusão da atividade do MEI;

    - Não declarar a receita anual;

    - Ultrapassar o limite de faturamento.

    Portanto, se você não fez contribuições ou declarações nos últimos anos, vale a pena ficar atento. Em caso de dúvida, procure o Simpi de seu Estado que lá faz para você.

    Exército engajado com a sociedade

    Além de proteger a sociedade, o exército brasileiro também tem a função social de informar. Tarefa está desempenhada por meio do Sistema de Comunicação Social do Exército, composto por mais de 800 agências distribuídas em todas as organizações militares no país, inclusive no Exterior. “Cada organização militar tem por missão preservar e fortalecer a imagem do Exército, além de dar apoio à tomada de decisão dos comandantes. São ações de comunicação estratégica, sincronizada e integrada, com conteúdo também em outros idiomas”, explica o general de divisão Richard Fernandez Nunes, chefe do Centro de Comunicação Social do Exército, em entrevista exclusiva ao programa “A Hora e a Vez da Pequena Empresa”

    De acordo com o general, os meios de comunicação digitais do Exército somam quase oito milhões de seguidores, sendo a segunda força armada com números tão expressivos, atrás apenas do exército dos Estado Unidos. “O exército brasileiro mantém perfis em todas as redes sociais, um sistema de rádio no ar há 18 anos, portal na internet e revista eletrônica, sendo seu principal meio de interação com a sociedade o canal no YouTube, com quase 1 milhão de seguidores”, afirma.

    O general também destaca o papel das forças armadas no combate à pandemia. “O exército brasileiro tem desempenhado uma série de ações, bem como o apoio a todo o processo de imunização, transporte de alimentos às comunidades mais carentes, condução de campanhas de conscientização e de doação de sangue, que já conta com mais de 40 mil doações só de militares”, conclui.

    ***