Palmas (TO),

  • LEIA TAMBÉM

    29/06/2021

    Tocantins está abaixo da meta de vacinação contra a Influenza

    Estado atingiu apenas 63% da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde

    ©DIVULGAÇÃO
    Instrumentos de proteção individual e coletiva, as vacinas são responsáveis pela erradicação de doenças e a prevenção de sequelas ou óbitos por vírus e bactérias. Apesar da eficácia comprovada dos imunizantes, muitas pessoas relutam em ser vacinadas. Esta é a realidade tocantinense, em relação à vacinação contra a Influenza.

    Dados da Gerência de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (SES), apontam que até esta segunda-feira, 28, a 11 dias do encerramento, a cobertura da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza atingiu apenas 63% da meta.

    “O Estado do Tocantins possui 534.635 pessoas dentro dos públicos alvos da campanha contra a Influenza e até o momento, apenas 343.047 compareceram para ser imunizados. O número é preocupante, visto que, a vacina ameniza os sintomas que podem ser confundidos com a Covid-19 e evitar idas desnecessárias a unidade de saúde e com isso, diminuir os riscos de contato com o novo Coronavírus.”, destacou a gerente de Imunização da SES, Diandra Sena.

    A gerente enfatizou ainda, que “o Estado está abastecido com imunizantes em todas as salas de vacinação e é importante que a população que se enquadra nos grupos prioritários compareça para ser vacinada”, disse.

    Campanha

    A 23ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza teve início no dia 12 de abril, quando o Estado recebeu do Ministério da Saúde 61.500 doses do imunizante. A ação segue até o dia 9 de julho e tem como público alvo as crianças com seis meses e menores de seis anos; gestantes; puérperas; povos indígenas; trabalhadores da saúde; idosos com 60 anos ou mais; professores; pessoas com comorbidades e deficiência permanente; caminhoneiros; trabalhadores de transporte coletivo rodoviário passageiro urbano e de longo curso; trabalhadores portuários; forças de segurança e salvamento; forças armadas; funcionários do sistema de privação de liberdade; população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.


    Por: Aldenes Lima

    ***